Grupo Ria


Seja bem vindo e navegue a vontade.                                                                       Conheça mais sobre o Grupo Ria, suas adaptações, montagens e artistas.

Memórias de um Sargento de Milícias

Manoel Antônio de Almeida

Manuel Antônio de Almeida. Retrata as classes média e baixa, algo muito incomum para época, onde os romances retratavam os ambientes aristocráticos. A experiência de ter tido uma infância pobre, contribuiu para que Manuel Antônio de Almeida desenvovesse a sua obra. O romance tem início no começo do século XIX. Em uma viagem de navio, Leonardo Pataca conhece Maria das Hortaliças. Em meio a "piscadelas" e "beliscões", os dois se apaixonam e, chegando no Brasil, se casam. Desse relacionamento nasce um filho: Leonardo. Porém, anos depois, Leonardo descobre que Maria o está traindo. Eles brigam e Maria foge de casa com o capitão de um navio. Com a separação, Leonardo sai de casa e leva seu filho para ser criado pelo padrinho. O padrinho de Leonardo era um barbeiro, que queria que Leonardo fosse padre, mas o menino não tinha a menor vocação, ao contrário, ele era muito travesso.O tempo se passa, e Leonardo se torna um típico malandro carioca: não possuía emprego, ficava vadiando. Porém, a sua vida muda quando conhece Luizinha, sobrinha de D. Maria, uma amiga do padrinho. Ele se apaixona por Luizinha, porém tem um rival, José Manuel, que está interessado na herança da moça. Com a ajuda de sua madrinha, uma parteira, eles afastam o José Manuel de Luizinha. Porém, o padrinho de Leonardo morre, e ele tem que voltar a viver com o pai. Acaba não se dando bem com sua nova madrasta e, após uma discussão, acaba fugindo de casa.Leonardo vai viver com um amigo, em uma casa bastante agitada e com muita gente. Acaba se apaixonando por Vidinha, e o amor é recíproco. Porém esse namoro não agrada aos dois primos de Vidinha, que têm intenções de se casar com ela. Para tirar Leonardo do caminho, eles vão até Vidigal, o chefe de polícia, e acusam Leonardo de vadiagem. Vidigal prende Leonardo quando ele, Vidinha, e seus dois primos saem para curtir a noite. Mas no caminho até a delegacia, ele consegue fugir.Mais tarde, leonardo arruma um emprego na Ucharia Real, pois assim, Vidigal não poderia prendê-lo. Porém ele se envolve com a mulher do "toma-largura" e, com isso, ele é demitido e preso. Enquanto isso, José Manuel e Luizinha se casam, porém, ele a trata muito mal. Vidinha, com ciúmes de Leonardo, vai tomar satisfações com a mulher do "toma-largura". Mas, o qu e acaba acontecendo, é que o "toma-largura" se interessa por Vidinha. Enquanto isso, por saber muito sobre a vida marginal, Leonardo vira policial. Porém, Leonardo, pelo seu gosto por travessuras e muitas vezes pelo seu bom coração, acaba protegendo e ajudando os bandidos. Vidigal o pune com chibatadas e o prende. A comadre em desespero, tenta de todas as formas conseguir a libertação de Leonardo, mas tudo em vão, Até ela conhecer Maria-Regalada, velho amor de Vidigal. Juntas não só conseguem a libertação de Leonardo, como sua promoção a sargento. E isso tudo vem em boa hora, já que com a morte de José Manuel, Luizinha agora viúva, se casa com Leonardo. E tudo termina em um final feliz.

O romance Memórias de Um Sargento de Milícias foi produzido em pleno esplendor romântico (1853) e Manuel Antônio de Almeida se escorou numa tradição estritamente popular, fugindo dos modelos folhetinescos e mundanos do romantismo. Seus personagens não têm a cortesia castradora dos estereótipos vigentes. Ele vai ao tempo de D. João VI, penetra no mundo criativo e gracioso do povo, e restaura a brisa renovadora da estória picaresca.

O espetáculo retrata, através de uma visão cômica os tipos populares que habitavam o Brasil com a chegada da Família Real. E apresenta o primeiro anti-herói de nossa literatura: Leonardo, que sem fazer o menor esforço, chega ao posto de Sargento. Leonardo gosta de se divertir e o trabalho está longe de ser o seu passatempo favorito, mas o Major Vidigal não quer saber de vadios perambulando pelo Rio de Janeiro. E a vontade do major é a lei. Memórias de Um Sargento de Milícias é uma crônica divertida do cotidiano das classes baixas fluminenses do século XIX.

O Diretor manteve o romance alegre, e suas tendências, tanto irônica, quanto moralista e aventureira. A montagem dá ao espectador uma visão geral, fazendo uma seqüência lógica desde o nascimento de Leonardo, passando por suas peripécias, infantis, juvenis e adolescentes até o final feliz como Sargento de Milícias, dando a idéia do que deveria ser a periferia do Rio de Janeiro com a chegada dos imigrantes e seus tipos engraçados.

Ficha Técnica Direção e Adaptação: José Paulo Rosa
Elenco:

Andreza Rebucci
Adriano Arbol
Bruna Ximenes / Thaís Gracia
Guta Magnani
Franciane Soares / Karina Scott
Marcelo Camilo
Marcelo Masso
Robson Rivera
Zé alberto Martins

Figurino:Ila Ribeiro / Thales Cristovão
Cenografia: José Paulo Rosa
Op. Luz: Mirabe




visitantes